Rugby e Crossfit = ???


O que acontece quando você mistura rugby e crossfit? O BH Rugby e o Ares Crossfit toparam o desafio. #descubra

Em MG também tem Beach Rugby!


O UNI/BH Rugby participou do primeiro torneio de Beach Rugby do estado de Minas Gerais, e a equipe feminina já começou o ano levantando o caneco!

Temporada 2018


A temporada 2018 já começou! Venha fazer parte do maior e mais tradicional time de rugby de Minas Gerais.

Experimentando o rugby feminino na terra dos Pumas

EM by Alessandro Travassos | BH Rugby | 1 comentário

Por Renatinha Polastri

Quando saiu a confirmação da vaga na Universidade de Buenos Aires, uma das minhas grandes preocupações era onde iria treinar aqui. Daí do Brasil mesmo, as meninas do BH já me colocaram em contato com a Conchita e foi ela quem me levou ao time: Ñandú – centro naval.

O clube (sede do Centro Naval) é enorme, com vários campos (só de rugby) todos com a grama verdinha, espaço separado para o 3º tempo e até uma mini academia! Resumo, uma infra estrutura incrível!

Os primeiros treinos foram difíceis, percebi que era a única novata e que o nível do time era bem mais alto que o meu! Por um lado, era algo desafiador, mas não posso negar que que minha confiança deu uma baqueada! Com o tempo fui me adaptando (cheguei a jogar de ponta, mas logo voltei a ser hooker) e fui aprendendo o estilo de jogar do time. Tive um apoio enorme do treinador, Carlos Pastori, que me explicava termos e os nomes das jogadas em espanhol.

Vídeo: Mujeres rugbiers, un tackle a los prejuicios

Várias dificuldades do rugby feminino também são vistas por aqui. É um esporte basicamente masculino e poucos clubes em Buenos Aires (apenas oito) tem a modalidade feminina. Em 2011, foi a primeira vez que a URBA (Unión de Rugby de Buenos Aires) promoveu o torneio feminino regional em que os dois primeiros colocados participariam do torneio nacional.

Foram sete etapas, jogavamos um domingo sim, um domingo não. Ao final quase 4 meses de competição, saímos como a equipe vencedora. Foi uma grande honra participar desse momento aqui. Era visível o quanto essas jogadoras que treinam há anos e anos esperaram por esse torneio e pelo reconhecimento. Na maioria dos jogos contribui levando água, mas ao menos em um dos jogos de cada rodada, estava dentro de campo.

Hoje não estou mais treinando no time, mas, com certeza, todos esses meses treinando no frio contribuíram muito e acredito que hoje já enxergo o jogo mais estrategicamente. Fiz boas amizades e espero voltar a treinar o quanto antes, de preferência no BH porque descobri que esse time tem algo muito especial e que realmente vive a cada treino o tão falado espírito do rugby.

 

.

UM CLUBE, UMA NAÇÃO.

EM by Alessandro Travassos | BH Rugby | 1 comentário

Por Daniel Alejandro “Cabezón” Marolla

Ainda estou com dores no corpo todo, com um olho roxo e marcas do Power 30 deste ano. Um jogo com o melhor nível em 7 anos e que me encheu de orgulho poder jogar. Não apenas por ser um jogo entre amigos, e com uma rivalidade linda e inigualável, mas também porque vejo que não apenas evoluímos como instituição, evoluímos também, a cada ano, como família e como um grupo formador de homens e mulheres de bem.

O Rugby é uma ferramenta incrível para ensinar a superar barreiras, para controlar a dor e os nervos em situações de muita pressão, valorizar as virtudes dos homens e explorá-las em favor do bem comum. Quando a gente enxerga o jogo como um veículo e não apenas como um simples jogo, ele fica muito mais bonito, agradável e humano. Um esporte que não prepara homens simplesmente fisicamente para um combate desportivo, mas também para afrontar essa montanha russa que é a vida. Abrir

Participação da Equipe Feminina no Bradesco Brasil Seven’s

EM by Alessandro Travassos | BH Rugby | 1 comentário

Por Joana Loureiro

Fomos sexta, dia 16, rumo à mais importante competição de rugby seven-a-side brasileira, o Bradesco Brasil Sevens, realizada em Embu das Artes-SP, onde foram definidos os campeões nacionais de 2011 nas categorias: feminino, masculino adulto e masculino juvenil.

Chegamos cedo ao Estádio Municipal Hermínio Espósito, por volta de 8 da manhã. Houve tempo de sobra para nosso primeiro jogo do dia, às 13hs: BH x Desterro. Com um comportamento atípico dentro de campo, o BH não conseguiu desenvolver jogadas, nem assegurar uma defesa eficiente. As catarinenses abriram o placar no início e, sem dificuldades, impuseram o seu rápido jogo, fechando em 48 x 0.

Às 17hs foi a vez do nosso segundo e último jogo do sábado: BH x Pasteur – as mesmas adversárias de uma semana antes, no SPAC. Dessa vez a história foi diferente, um embate em que o BH colocou os eixos no lugar, desenvolvendo em campo boa parte dos treinamentos do ano de 2011. Com eficaz ligação entre linhas e forwards, conseguimos uma vitória que nos dava o alívio de ainda continuarmos vivas na competição. Foi um jogo, felizmente diferente de muitos, em que pudemos contar com a tranqüilidade de ter no comando a indiscutível arbitragem do Sr. Xavier Vouga, o mesmo que apitou a final do Super 10 e um dos principais nomes do país. Final de jogo: BH 22 x 0 Pasteur.

Depois de um sábado cansativo, em parte devido à longa exposição ao sol, (com quase nenhuma infra-estrutura para os atletas, eram pouquíssimos os lugares com sombra), fomos descansar em um hotel perto de Embu e repor as energias para o domingo, quando aconteceu nosso último jogo de rugby do ano.

Com o sol a pino, às 13hs do domingo, enfrentamos as francas favoritas à taça: BH x SPAC. Até 3 minutos do primeiro tempo conseguimos segurar as rápidas atletas. Mesmo o BH com bons tackles e uma forte marcação no começo de jogo, as paulistanas conseguiram furar nossa defesa, inaugurando a pontuação. Apesar do placar elástico de 43 x 0, saímos de campo satisfeitas, pois, dentro do nosso nível, conseguimos, de certo modo, colocar em prática a marcação, tarefa vigorosamente árdua em se tratando de adversárias (algumas delas) titulares da seleção brasileira.

Assim fechamos o ano de 2011. A partir de agora é férias (merecidas!), voltamos em meados de janeiro, com força total, e que em 2012 possamos fazer uma temporada melhor ainda!

P.s.: Agradecemos o apoio incondicional do atleta Felipe Baptista que acompanhou a delegação feminina neste torneio.
.

Meninas do BH conquistam o 5º lugar no SPAC

EM by Alessandro Travassos | BH Rugby | Comente  

Por Joana Loureiro

Embarcamos na sexta à noite, dia 9, rumo ao desafio de encarar mais um SPAC, o maior torneio de rugby seven-a-side do Brasil, com um grupo de muita confiança e cada vez mais desenvolvido no esporte. Chegamos na fria e nublada São Paulo sábado cedo, perto do primeiro confronto do dia: BH x São José. time do interior paulista, que se destaca pela contundente habilidade de sua half-scrum. Mais uma vez conseguimos até certo momento impor nosso jogo, mas algumas falhas individuais abriram caminho para os tries das joseenses, em um embate que por pouco não pontuamos. Placar: 15 x 0.

Nosso segundo jogo do dia foi contra as meninas Bandeirantes, candidatas ao ouro do torneio, o que não nos abalou. Apesar do nosso forte e preponderante scrum e a pressão imposta por nós, sobretudo no chuvoso 1º tempo, o Bande se sobressaiu nas habilidades do jogo de linha, obtendo a vitória. Placar: 24 x 0.

O terceiro e último confronto do sábado foi contra o Tornados. Com boas jogadas entre abertura e centro não foi difícil abrirmos o placar e manter com segurança a primeira vitória. Foi um jogo marcado por muitos scrums devido aos knock-on’s provocados pela garoa que fazia a bola deslizar facilmente pelas mãos. Final de jogo: 17 x 0.

A tranquilidade de poder nos hospedar e descansar plenamente em um confortável hotel fez toda a diferença para a atuação do BH no domingo, o grande e marcante dia de decisões.

O primeiro embate: BH x USP. Um jogo em que o BH não enfrentou dificuldades para impor um placar elástico, buscando jogadas diversificadas, trabalhando muito com as jogadoras velozes. Placar: 27 x 0.

O segundo jogo do domingo, e último do torneio, foi certamente o mais árduo: BH x Pasteur. Sem uma das titulares contundidas no jogo anterior, protagonizamos um certame equilibrado, do começo ao fim, em que claramente foi colocado à prova o condicionamento físico de todas as atletas. Foi um jogo empatado em número de tries, 2 para cada lado, mas marcado pelas certeiras conversões do BH. Final: BH 14 x 10 Pasteur. É a Taça Prata em mãos mineiras!

Voltamos para Minas Gerais com o saldo positivo de vitórias e mais fortalecidas para o Nacional, dias 17 e 18 de dezembro.

.

2ª Etapa do Campeonato Mineiro de Seven’s

EM by Alessandro Travassos | BH Rugby | Comente  

O Campeonato Mineiro de Seven’s 2011 aconteceu em duas etapas: 01 e 02 de outubro, em Uberlândia, e 26 e 27 de novembro, em Lavras. Os times que participaram da 1ª etapa foram Varginha, Leopardos A e B, Uberlândia A e B, UFOP, UFLA, Taurus e BH. O time da capital se classificou em 5º lugar e não houve disputa entre times femininos, pois nenhum efetivou a inscrição.

 A 2ª etapa contou com a participação de Varginha A e B, Uberlândia, UFLA A e B, UFOP, JF Rugby, Taurus, UniCEUB-DF e BH. Desta vez, os meninos do BH Rugby se classificaram em 2º lugar, o que lhes garantiu o 2º lugar geral. O campeão geral, que também foi campeão das duas etapas, foi o Varginha A, com excelência na sua apresentação. Já o BH feminino disputou um “melhor de três” com o time feminino do Varginha pelo título. As meninas da capital venceram as adversárias e garantiram o 1º lugar na competição.

 Dois atletas do BH Rugby contam como foi a experiência de participar do circuito.

Por Ramon Mourão

 Participar desse campeonato ajuda o atleta a perder o nervosismo. Na primeira partida, você ainda está um pouco nervoso, mas como acontecem várias no mesmo dia, você vai jogando cada vez mais tranquilo e se divertindo, que é o que importa.

 Jogar com pessoas diferentes é muito bom. Cada tackle que você dá é diferente, cada tackle que recebe tambem é diferente. Além de somar histórias para se contar.

Por Rodrigo Toscano

Por Ramon Mourão

Durante todo o ano, nós nos preparamos para disputar o brasileiro. Mas para isso, precisávamos ganhar nosso campeonato regional. Não participamos da 1ª etapa por não haver outro time inscrito, portanto, ganhar 2 dos 3 jogos contra o Varginha na 2ª etapa era crucial para cumprirmos nosso planejamento anual.

O primeiro jogo foi cheio de tensão. A última vez que jogamos contra o Varginha foi em junho, em um amistoso ten-a-side. Vencemos este amistoso, mas não sabíamos como as meninas evoluíram, já que elas vem treinando duro. Entramos muito concentradas na primeira disputa e levamos o jogo. A concentração estava um pouco menor para o segundo certame, mas vencemos mesmo assim, o que nos aliviou e alegrou bastante.

 No domingo, fizemos um amistoso contra as abelhinhas e misturamos as meninas da UFLA no nosso time. Foi bem divertido. Terminamos com uma sensação de paz e de dever cumprido.

Por Gracila Vilaça

Os campeões gerais do Campeonato Mineiro tem vaga assegurada no Campeonato Brasileiro de Seven’s, que acontece no dias 16, 17 e 18 de dezembro.