Equipe feminina participa da 4ª etapa do Carioca de Seven’s

Recebi com muita alegria o convite para disputar a etapa do carioca e acompanhar o BH Rugby como atleta, apesar da ainda pouca experiência devido a apenas três meses de treino. A ansiedade pela chegada a Niterói foi contrabalanceada com o conforto proporcionando pelo ônibus que possibilitou que conseguisse dormir e chegar descansada à UFF. Ao chegarmos ao campo, vimos o grande número de times e curiosos nos arredores e já pude ter uma idéia do enriquecimento que ganharia, como atleta e como estudante de educação física, naquele sábado.

O primeiro jogo do BHR foi contra a experiente equipe anfitriã. Apesar de só contarmos com oito jogadoras, devido aos desfalques por problemas médicos, o desgaste físico foi minimizado pois, não precisamos fazer a viagem de quase 7 horas sentadas na mesma posição (o que seria inevitável numa viagem de van). Foi possível esticar as pernas, andar pelo ônibus e até mesmo dormir. Apesar do placar de 27 a 0 a favor das fluminenses, o BHR protagonizou jogadas emocionantes como o sprint de aproximadamente 40 metros que a atleta Amanda Macedônio conseguiu. Só foi parada a poucos metros do ingoal e senão fosse a vasta experiência do Niterói, traduzida em um marcação muito eficiente, teria sido cravado nos lances subseqüentes o primeiro try da equipe mineira.  A diferença na técnica e no preparo físico das duas equipes vem diminuindo e  o BHR mostrou muita raça e um jogo duro até o apito final.

O segundo jogo foi contra a equipe de Campos. Passada a pressão inicial de pegar de cara as campeãs cariocas, o BHR deslanchou. Muitos passes precisos e um sincronizado jogo de equipe acabaram se revertendo no placar de 59 x 0.

Apesar dos contratempos com a tabela dos jogos, que cancelou um jogo do BHR, voltei de Niterói apaixonada pelo Rugby e absurdamente inspirada para continuar treinando.

Por Ranara Feres

EM by Alessandro Travassos | BH Rugby

comentários